segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

AS 5 LINGUAGENS DO AMOR

AS 5 LINGUAGENS DO AMOR

as 5 linguagens do amor, palavras de afirmação, presentes, tempo de qualidade, toque físico, atos de serviço

Este post é um resumo (indicação e estímulo de leitura) do livro, “As Cinco Linguagens do Amor – como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge” do autor Gary Chapman, que li recentemente e achei de grande importância para os casais que desejam melhorar a comunicação do amor no relacionamento.

O autor defende que se soubermos a linguagem de amor dos nossos parceiros e escolhermos demonstrá-la constantemente, o relacionamento se transformará em qualidade e retorno, pois ao sentir-se amado, o parceiro se sente mais motivado a corresponder e atender os desejos do outro.

Um grande problema da comunicação do amor, é que geralmente expressamos amor da forma como gostaríamos de ser amados e nem sempre deciframos a forma com a qual nossos parceiros se sentem amados. É necessário descobrir a linguagem de amor do outro e escolher demonstrá-la, mesmo quando essa linguagem não faz parte do nosso background emocional de origem e nos parece incômoda. É uma escolha adulta pelo bem estar da vida a dois com a garantia de que os retornos são extremamente positivos.

Chapman utiliza da metáfora do “tanque de amor”, argumentando que dentro de toda criança e adulto existe um tanque emocional que precisa ser preenchido de amor o tempo todo, e caso isso não aconteça, o indivíduo passa a se comportar mal, inconscientemente demonstrando sua carência amorosa. Na vida adulta do casal, durante a paixão, os tanques parecem estar transbordando de amor, mas quando a paixão acaba e a realidade da personalidade do parceiro aparece, a necessidade emocional reaparece e os indivíduos passam a clamar fervorosamente por amor, mas infelizmente de forma negativa e infantil, o que gera o afastamento do parceiro e o início de um círculo vicioso.

as 5 linguagens do amor, palavras de afirmação, presentes, tempo de qualidade, toque físico, atos de serviço


É nesse contexto que os indivíduos precisam aprender que “é dando que se recebe” e não economizando e cobrando. Quando doamos amor da forma como nosso parceiro deseja ser amado e se sente mais amado, seu tanque de amor volta a se encher e seu comportamento pode mudar radicalmente melhorando o clima emocional da vida a dois.

Vejamos então um resumo das 5 linguagens:

1ª) Palavras de afirmação

A pessoa que tem essa linguagem primária do amor gosta de ouvir palavras, frases e conversas de elogios, agradecimentos, encorajamento, reconhecimento e confirmação. Por isso seu tanque de amor diminui muito quando ouve palavras de críticas e cobranças constantes, pois é como sua linguagem de amor, além de não acontecer, é ferida profundamente.

Dessa forma, a maneira de falar é muito importante. Podemos dizer tudo que precisamos, mas tomando o cuidado de expressar de maneira suave e gentil. “O amor faz pedidos, não exigências. Quando exijo coisas de minha esposa, torno-me pai, e ela passa a ser minha filha” (p. 45).

A maneira que o parceiro deve expressar o amor emocional nesta linguagem do amor é através de palavras que edificam.

2ª) Tempo de Qualidade

Nesta linguagem do amor, o parceiro se sente amado quando recebe completa atenção do outro. Gosta de conversar olhando olho no olho, sair pra passear só os dois e passar um tempo juntos com qualidade de presença.

Estar juntos sem essa atenção focada e sem o diálogo, não enche o tanque de amor da pessoa com esta linguagem primária. É importante tirar um tempo para ter conversas de qualidade onde os parceiros trocam experiências, pensamentos, sentimentos e desejos. É importante também que o parceiro seja um bom ouvinte e mostre desejo sincero de compreender seu amado.

Resumindo, faça contato visual, não faça outras coisas enquanto ouve seu parceiro com total atenção, preste atenção aos sentimentos, observe a linguagem corporal, não interrompa sua fala e aprenda a ouvir e revelar seus sentimentos.

3ª) Presentes

A pessoa que possui esta linguagem primária do amor gosta muito de receber desde pequenos a grandes presentes. O presente é como se fosse a materialização do amor, e é também um símbolo de que o outro estava pensando no seu amado.

Muitos parceiros têm dificuldade de presentear, mas podem pedir ajuda de parentes e amigos para a escolha dos presentes. Outros têm uma relação complicada com dinheiro e precisam mudar sua atitude e crença desse gasto como sendo um investimento no parceiro e na relação.

No geral, não importa o valor do presente, mas sim a intenção. A não ser que a pessoa tenha muito dinheiro e sempre dê presentes baratos, pois assim o parceiro questionará seu valor. O parceiro irá considerar desde uma flor roubada no jardim do vizinho até o presente da presença.

4ª) Atos de Serviço

Nesta linguagem do amor, o parceiro se sente amado quando o outro faz atos de serviço, ou seja, faz coisas que sabe que o outro gostaria. É expressar o amor fazendo coisas.

Geralmente se refere a algum tipo de ajuda, que muitas vezes pode não estar incluída no papel de gênero, como por exemplo, o marido ajudar a arrumar a casa e cuidar das crianças, ou a esposa lavar o carro e buscá-lo de carro no trabalho. Portanto é preciso reexaminar os estereótipos de papéis de marido e mulher que aprendemos nas famílias de origem e escolher fazer os atos de serviço do nosso parceiro em busca do bem estar maior da relação.

5ª) Toque Físico

Por último temos a linguagem amorosa através do toque físico. Para os indivíduos que têm essa linguagem primária de amor, andar de mãos dadas, beijar, abraçar e ter relações sexuais são formas de comunicar amor emocional ao parceiro.

Como o tato é um dos sentidos mais amplos em nosso corpo, podemos explorar quais as formas onde este parceiro se sente mais estimulado e aprecia ser acariciado.

Para este parceiro a pior punição pode ser a violência ou a indiferença com afastamento físico. Um parceiro distante não preenche seu tanque de amor e a violência pode ferir profundamente sua linguagem de amor.

Chapman enfatiza que demonstrar o amor é uma escolha de doação. Excluímos a possibilidade do amor quando tratamos nosso cônjuge como objeto, manipulamos através da culpa e coagimos por medo, assim como a crítica é uma forma ineficaz de implorar amor. Permitir ser usado ou manipulado por outra pessoa não é um ato de amor e sim uma traição consigo mesmo.

Escolher falar a linguagem de amor do parceiro passa muitas vezes pelo enfrentamento das próprias dificuldades de expressar o amor da forma como o outro se sente amado. Cabe a cada um fazer ou não esta escolha e arcar com as positivas ou negativas consequências.

Você conseguiu identificar sua linguagem de amor? Compartilhe conosco suas percepções e dúvidas no espaço para comentários abaixo!


Adriana Freitas
Psicoterapeuta Sistêmica
em Belo Horizonte

Siga o blog clicando em "Seja um seguidor" na lateral direita
Referência das Figuras
 todas as imagens foram retiradas do google imagens.
#adrianafreitas #solteirosecasais #amor #afetividade #carinho #relacionamentos #relação #comportamento #terapiadecasal #sexualidade #casal #casamento #solteiros #saúde #comunicação #paixão #carência #parceiro #cuidar #saudades #psicologia #psicóloga #terapiafamiliar #sistêmica #visãosistêmica #terapia #belohorizonte #as5linguagensdoamor #5linguagens #linguagensamor

Nenhum comentário:

Postar um comentário